Crítica – Fortuna Maldita

fortuna-maldita-netflix-filme-terror-may-the-devil-take-you-capa-700x361

Filmes de terror asiático sempre são interessantes pra mim (com algumas exceções, é claro) por que eles fogem daquela mesmice hollywoodiana que já estamos cansados de ver.

Com “Fortuna Maldita” não foi diferente. O filme me agradou muito. Filme de 2018 da Indonésia original Netflix, “Fortuna Maldita” segue uma premissa básica: demônios em busca de almas. Porém o desenrolar da trama é o diferencial principal.

review-sebelum-iblis-menjemput-2018-may-the-devil-take-you-chelsea-islan-e1533958934664

Lesmana, um homem pobre, deseja riqueza a qualquer custo e pra isso ele faz um ritual com uma sacerdotisa das trevas para conseguir o que tanto deseja, mas a gente sabe que isso nunca dá certo né? O que vai volta e nesse caso volta com gosto.

Demônios malignos atormentam Lesmana e sua família a fim de conseguirem a alma de cada um.

May-the-Devil-Take-You-Sebelum-Iblis-Menjemput-movie-film-horror-Evil-Dead-2018-9

Alguns pontos muito positivos desse filme são: as atuações são ótimas, principalmente da menina Alfie, a protagonista do filme. A maquiagem é muito criativa e assustadora, nunca tinha visto demônios assim antes. E o gore rola solto. Pra quem tem estômago fraco já aviso que tem muita cena NOJENTA.

All-the-Devils-Are-Here-Chew-Still

O filme me lembrou um pouco de “A Morte do Demônio”, então, quem é fã com certeza vai gostar de “Fortuna Maldita”.

May-the-Devil-Take-You

Crítica feita por: @voupseita

Anúncios

Crítica – Boneca Maldita

WhatsApp Image 2018-11-20 at 15.50.02

Um homem fabricante de brinquedos e uma dona de grife, vivem o melhor momento de suas vidas, porém eles tem uma filha adotiva, a qual perdeu a mãe e o pai há pouco tempo. Na tentativa de se comunicar com a mãe morta, a menina acaba invocando um demônio, que muitas vezes se manifesta através de Sabrina, uma boneca desenvolvida pelo pai adotivo. Consequentemente a família começa a ser perseguida e amaldiçoada pelo demônio, fazendo de suas vidas um inferno.

WhatsApp Image 2018-11-20 at 15.49.52

Devemos começar avisando que isso aqui vai ser bem diferente de uma crítica formal, vou ser bem informal, e outra: é um filme da Indonésia, ou seja, a atuação não é igual com o que já estamos acostumados, por exemplo, atuações americana e brasileira. Então quem for assistir não deve ficar julgando a atuação por que cada povo tem um jeito diferente de atuar.

WhatsApp Image 2018-11-20 at 15.49.56

Sim, mais um filme de bonecos possuídos, só que o diferencial desse é que é uma bosta. Sabrina (Boneca Maldita) consegue ultrapassar Annabelle (1) no quesito chatice e tédio. A Netflix tem apostado muito em produções em outros países e a Indonésia está sendo uma dessas. Acho que o melhor momento do filme é quando fazem referência à “A Forca” com a brincadeira de “Charlie Charlie” e olhe lá. Ou quando acaba.

Brincadeiras à parte, o filme parece ter sido copiado na base de filmagem de Invocação do Mal porque claramente conseguimos perceber uma certa “inspiração” em algumas cenas, fazendo o filme não ser nem um pouco original. Não tem nenhuma atuação incrível no filme, talvez por erro do roteiro. Por exemplo, tem uma parte em que a criança fica parada na praia falando com a Tia que está vendo a sua mãe (fantasma). A mãe até está lá mas a criança fica rindo igual uma retardada só por que a mãe está parada.

WhatsApp Image 2018-11-20 at 16.03.14WhatsApp Image 2018-11-20 at 16.03.14 (1)

Mas calma, o filme por incrível que pareça tem coisas boas, como por exemplo a fotografia, o design da boneca e um ponto particular que gostei é que não enrolam tanto para mostrar demônios. Eu nem queria fazer essa crítica mas tá aí. Xoxo.

PS: O Demônio tem o nariz igual o do Luciano Huck

giphy

 

Crítica por @ribeirojcx

Crítica – CAM

WhatsApp Image 2018-11-17 at 17.19.12

Alice (Madeline Brewer) é uma ambiciosa jovem que trabalha com pornografia de webcam. Quando uma misteriosa mulher idêntica a ela toma seu canal, ela se vê perdendo o controle sobre os limites que estabeleceu em relação a sua identidade online e os homens na sua vida.

Online e Webcam são as palavras chaves do filme, porque é sobre isso que se trata; internet. O Filme é uma crítica à era digital, a forma que nós somos tão dependentes da internet hoje em dia e os males que ela nos causa. Como podemos observar em Lola/Alice, que claramente é obcecada por sua imagem no site, assim como também no ranking, fazendo uma alusão à seguidores, exposição, ao que postamos em nosso Facebook, Instagram, Twitter etc.., principalmente o Instagram, principal rede social para postarmos fotos nossas, stories, a falsa imagem que passamos para nossos seguidores simplesmente para acharem que temos a vida que queremos, assim como pessoas que fazem tudo por fama e popularidade.

WhatsApp Image 2018-11-17 at 17.19.13 (1)

O filme também deixa claro sobre o preconceito à pessoas que a utilizam demais como na parte em que a CAM Girl chama a policia e um diz “Se não quiser ver isso não entre na internet”, fazendo alusão à pessoas que culpam vítimas de Cyberbullying. O filme me lembra um pouco Amizade Desfeita mas não tem a mesma premissa, é algo mais Black Mirror. Daniel Goldhaber mesmo sendo iniciante acerta sobre o assunto atual, principalmente para o Brasil, tema que tem ligação até com a redação do Enem 2018. Outro acerto do filme é a sua direção fotográfica e artística, sério! Eu quero ter o quarto igual o da Lola!!!

WhatsApp Image 2018-11-17 at 17.19.13

O filme consegue criar um suspense interessante, tendo boa culpa disso na protagonista Madeline Brewer, que consegue te prender do início ao fim em tudo que faz. O Thriller sobre os questionamentos da personagem é pouco trabalhado. Poderiam muito bem ter colocado questionamentos se é uma sócia real, uma possível irmã gêmea, ou até algo sobrenatural (já que o lume é da Blumhouse) uma série de possíveis plost twists que tornariam o filme mais instigante e tornaria o suspense mais amplo e interessante. CAM é quase um terror artístico, mas que não chega lá. É uma ótima opção para assistir quando não tem nada para fazer, ou apenas quem gosta de assistir filmes, mas não é nível de um filme de cinema.

explicação do final: esse filme não poderia acabar redondo, você tem que assistir pensando na personagem, na loucura dela sobre tentar ser uma coisa que ela não é, Ela tentou tanto ser outra pessoa que perdeu sua essência real. Aquela outra seria o que ela sempre quis ser.

WhatsApp Image 2018-11-17 at 17.19.17

Crítica: @ribeirojcx

Crítica – A maldição da Residência Hill

a maldicao da residencia hill netflix serie terror capa

Nos últimos dias, houve muitos comentários na internet sobre a nova série da Netflix, A Maldição da Residência Hill, e a quantidade de pessoas falando bem não é exagero. Pra quem estava há muito tempo procurando uma nova história de terror para sentir medo, eu indico essa série. Pra que esta procurando um passatempo, eu indico essa série. Pra quem procura um drama familiar, eu indico essa série. Pra quem só procura algo bem produzido, eu indico essa série. Pra quem quer uma história pra se emocionar, eu indico essa série. E eu vou explicar – sem spoiler – o porquê.

A maldição da Residência Hill é uma série inspirada no livro de Shirley Jackson, a Assombração da Casa da Colina e, resumidamente, conta a história de uma família que se muda para uma casa mal assombrada e sofre com as conseqüências dos acontecimentos na casa mesmo anos depois de se mudarem. Até aí, parece apenas mais um terror com uma fórmula batida que todo o público já cansou de assistir. Mas como essa história é contada se diferencia e se destaca de todo o resto.

a maldicao da residencia hill netflix serie terror 07

A trama gira em torno dos Crain: cada episódio conta a história sob a perspectiva um personagem diferente, isso faz com que o telespectador perceba os erros e as falhas de cada um. No primeiro episódio você pode começar odiando certo personagem por conta das suas atitudes, mas no quarto você vai entender o que levou ele a fazer aquilo. Como a direção conta cada história é impressionante, te leva a conhecer personalidades totalmente distintas e reações totalmente diferentes mesmo que todas aquelas pessoas tenham vivenciado a mesma situação.

O primeiro episódio é focado em Steve Crain, o filho mais velho, cético, que não acredita em fantasmas mas construiu toda sua carreira em cima de histórias sobrenaturais. O segundo é sobre Shirley, uma menina traumatizada com a morte, que abre sua própria funerária. O terceiro fala sobre Theodora, uma pessoa um tanto quanto sensitiva e que, por causa disso, evita sentir tudo ao seu redor. O quarto e quinto são sobre os gêmeos: Luke e Nell, os dois mais afetados pela Residência Hill, que ficaram psicologicamente destruídos por causa dela durante toda a sua vida. Os últimos episódios também falam sobre Olivia e Hugh Crain, os pais dos cinco protagonistas, e como suas atitudes e escolhas acabaram influenciando todos os acontecimentos da trama.

a maldicao da residencia hill netflix serie terror 08

Além da história ser incrível, nos aspectos técnicos, a série se torna ainda mais genial. Todos os episódios são repletos de flashbacks e o modo como o diretor resolveu evidenciá-los foi colocando raccords sonoros bem marcados quando vamos para os flashbacks e quando voltamos deles. A fotografia e a arte da série também não pecam, os elementos e as cores fortes da casa formam cenários harmonizados mesmo quando tudo parecem bem até quando os fantasmas se tornam parte do conjunto. Um episódio que vale a pena comentar a parte é o sexto, que é inteiramente feito em plano sequência, mesmo quando existe o flashback o diretor optou por utilizar um falso plano sequência e continuar na mesma técnica. As atuações também dão um show, tanto o elenco adulto, quanto o elenco infantil, no qual, inclusive, se destacam os pequenos Julian Hilliard e Violet Mcgraw, que interpretam os gêmeos caçulas.

Falar dessa série é um desafio, porque apesar da gigantesca qualidade cinematográfica que ela representa, ainda pode ser considerada uma obra do tipo “ame ou odeie”. Ela não é repleta de jumpscares, apesar de achar que os utiliza em momentos essenciais, também é um pouco pesada em muitos sentidos, e muitas vezes acaba apelando mais pro lado dramático do que para o do terror de fato. Mas apesar disso, tenho certeza que ainda vai conquistar muita gente. Se está em dúvida: dê uma chance, a Residência Hill pode te surpreender.

Mallu Correa
@_deppendent
@mallucorreas

The Haunting of Hill House. Mike Flanagan, 2018.

Crítica – Halloween

O que podemos dizer de Halloween 2018?

Este filme se ambienta 40 anos depois dos acontecimentos do primeiro filme, Michael escapa da prisão e retorna a fictícia cidade de Haddonfield em busca de vingança. O filme tem um começo bem auto explicativo da vida de Myers, assim como a vida de Laurie.

O que me deixou mais surpreso foi como deixaram o clima do filme com tanta conexão com o primeiro, isso foi simplesmente maravilhoso. Temos varias referencias as sequências anteriores, sejam por falas, recordações ou mesmo as mortes. Eu estava preocupado com isso, estava imaginando que o filme seria muito clichê por se basearem tanto nas ideias dos outros filmes da franquia, porém meu amigo, eu estava enganado.

James Jude Courtney in Halloween (2018)

Não se deixe levar por possíveis spoilers que achávamos que sabíamos, por no último mês terem lançando uma dezena de trailers. Tudo que está nesses trailers, são apenas pontas para o começo de um desenvolvimento.

As mortes desse filme não ficam para trás, porém temos aqui o Michael Myers “retrô”, seguindo seu Shape original: silencioso, perseguidor, frio, calculista e sanguinário (algo que Rob Zombie desconstruiu em seus filmes).

A trama se desenvolve rápido à partir do momento que Michael escapa, prendendo a atenção do público e em diversas vezes, arruinando nosso juízo.

Resultado de imagem para halloween 2018

O filme trabalha muito a sombra e o preto, provavelmente o primeiro filme depois do clássico de John Carpenter a realmente ter essa Vibe tão intensa.

Inclusive, um padrão muito forte nos slashers é desconstruído neste filme, porém vou deixar você descobrir o que é!

Este filme vai muito além do que um simples terror, pois envolve um trauma muito forte do passado. Laurie se tornou uma pessoa isolada, triste, desconfiada e perturbada.

Resultado de imagem para halloween 2018

O final está sendo muito discutido por ser meio “que?”. Eu também achei isso a princípio, porém analisando bem, David Gordon Green fez isso de propósito.

Atualmente, a indústria do terror vem recebendo foco apenas em filmes de espíritos, porém acredito que com a volta de Halloween, o slasher finalmente pode começar a ganhar um bom destaque novamente, como nos anos 90.

O filme chega aos cinemas brasileiros no dia 25/out

Leonardo Lima
@fuckingleo
@fcknleox

Resultado de imagem para halloween 2018

Amizade Desfeita 2 – Dark Web – Crítica

onesheet

Amizade Desfeita foi um filme que deu uma inovada no gênero Found Footage, mostrando um filme inteiro visto pela perspectiva de uma pessoa usando um computador.

A tela do PC é a única coisa que vemos durante o longa inteiro e nem por isso o filme é chato, pelo contrário, a criatividade empregada ao se mostrar apenas uma tela de computador foi incrível. E isso volta com tudo na sequencia, Amizade Desfeita 2 – Dark Web.

unfriended_game_night_124977.0

Com o mesmo formato que o primeiro filme, acompanhamos Mattias às voltas de um mistério quando encontra vídeos bizarros em seu novo computador, enquanto recebe mensagens de alguém que não conhece e conversa com seus amigos pelo Skype.

O mistério sobre quem é essa pessoa desconhecida e sobre os vídeos é o que mais te prende. O filme não mostra tudo de mão beijada, você precisa prestar atenção nos detalhes, nas pequenas coisas que vão acontecendo que fazem a tensão subir cada vez mais. Talvez isso incomode pessoas que preferem filmes mais rápidos. Eu não diria que é um filme parado, mas ele demora pra entregar o prato principal. As atuações são boas pra atores iniciantes e não deixam nada a desejar.

1534181039_Unfriended Dark Web NE

Diferente do primeiro filme, aqui a história tem muito mais verossimilhança com a realidade, já que não se trata mais de um ser sobrenatural como no primeiro filme e sim, pessoas reais, hackers da Deep Web que estão determinados a destruir a vida de qualquer um que cruzar com eles.

O que eu acho bastante assustador, pois está mais próximo da realidade, não é algo totalmente imaginado, poderia ser real ou não.

Quem curte lendas urbanas sobre a Deep Web e Creepypastas com certeza vai adorar esse filme.

Escrito por Marcelle @voupseita

Unfriended: Dark Web

A Primeira Noite de Crime – Crítica

17c34bf2-9ecc-40f4-9c75-f25a20820d76

Depois do sucesso de Um Noite de Crime que nos rendeu mais duas sequências, a Blumhouse nos trouxe mais um filme (o 4º), só que agora mostrando o início do expurgo, onde um novo partido político, o New Founding Fathers of America, ascende e é anunciado um novo experimento social. São 12 horas sem lei, em que o governo incentiva as pessoas a perderem toda e qualquer inibição. A participação não é obrigatória, mas como estímulo, 5.000 dólares é dado para quem fica na cidade, e mais prêmios para quem participa.

WhatsApp Image 2018-10-02 at 16.53.57

Eles já começaram com o primeiro pôster do filme sendo sobre o boné do presidente Trump, praticamente mandando um recado que o filme teria uma grande premissa sobre política, e foi. Não há só roubos, mortes e violência, agora há uma forte crítica política. O roteiro funciona, na teoria. É ótimo ver que uma franquia de violência está tratando temas atuais, podendo ter risco de perder públicos alvos por mostrar sua opinião pelo mundo, mas na prática o filme tem momentos que parecem ser uma sequência de Uma Noite de Crime e outras vezes uma versão de baixo custo do filme. Alguns momentos a posição da câmera é horrenda para filmar certas cenas e tem coisas desnecessárias, ataques gratuitos como o das duas senhoras, que nem foi um ataque na verdade.

8c15c421-d296-4f62-9571-3dfd39cfd01f

A direção peca muito e é por isso que o filme talvez não seja tão bom quantos os outros três. Os efeitos especiais de sangue são muito falsos, mas é o filme que mais consegue dar sustos.

Temos mais uma vez personagens clichês, como a mocinha Nya (Lex Scott Davis) e o traficante Dmitri (Y’lan Noel) que vira herói, mas não chama a atenção do público. A única menção honrosa do elenco creio que seja para a Dolores (Lauren Vélez) que acerta em cheio em suas horas de comédia. Eu mesmo sendo difícil para rir em um filme de terror/suspense por estar muito ligado no que está acontecendo, ri em todas as partes, e o público merecia esses momentos cômicos.

9426ee1f-83a5-4cc7-8266-c676eafc01ee

O filme é tão fictício quanto real ao mesmo tempo, caindo como uma luva para nós brasileiros, nesse momento de eleições. Nos faz pensar se queremos armas sendo legalizadas por aqui e se queremos terror pelas ruas do Brasil e não só nas telas.

sg-thefirstpurge-phpgl3sxk

Escrito por @ribeirojcx

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora